Não usar acento e cedilha
 
 

UMA PÁGINA PESSOAL

 

. Uma vida de músico
. Ler e escrever
.
Cacilda Borges Barbosa




LER E ESCREVER: POESIA


SOBRE POESIA

 

Razões de canto

Eu canto a noite
silenciosa e vazia
que posso encher toda de solidão.
Canto como a coruja
que mora na mangueira do eu quintal,
num monólogo polifônico

Canto a amplidão
desde que vazia
canto o silêncio
desde que sem eco
canto o amor
desde que sem razão

(1964)

 
 

 

 
 

<<voltar para listagem