Não usar acento e cedilha
 
 

UMA PÁGINA PESSOAL

 

. Uma vida de músico
. Ler e escrever
.
Cacilda Borges Barbosa




LER E ESCREVER: POESIA


SONETOS

 

Em memória de Gesualdo de Venosa

Na hora em que o dia apaga as cores
e reflete, imerso em si, seus males,
eu peço que também tu te cales
para ouvir o som dos meus amores.

É o mar lento, impreciso e constante
do interior de uma concha na praia.
É a lei que se expanda e se retraia
o incontido no peito do amante.

Vai a onda em espuma de orgasmo
e retorna torcida e amarga
revoltada no mesmo marasmo

em que a impotência explode sua carga;
e vai doçura e volta sarcasmo
na paixão que se espreme e se alarga.

 
 

 

 
 

<<voltar para listagem