Não usar acento e cedilha
 
 

UMA PÁGINA PESSOAL

 

. Uma vida de músico
. Ler e escrever
.
Cacilda Borges Barbosa




LER E ESCREVER: POESIA


SONETOS

 

Urbano e calmo

Nestas horas da mais quieta desesperança
repartidas num suavíssimo conversar -
como um pássaro voando parado no ar
recolho o fogo selvagem de minha dança.

Dança de bicho fera buscando parceira;
dança de canto hondo, afiada como espada;
jiga irlandesa, tesa, precisa e afogueada;
corpo explodindo em faísca de pederneira.

Urbano e calmo, moderado e elegante,
falo de coisas, sem avanço nem recuo,
parado no ar numa agitação incessante;

pois nessa farsa quieta eu peno, sofro e suo.
Para ocultar a fornalha aberta e hiante,
Morri na hora; e morrendo continuo.

 
 

 

 
 

<<voltar para listagem