Não usar acento e cedilha
 
 

UMA PÁGINA PESSOAL

 

. Uma vida de músico
. Ler e escrever
.
Cacilda Borges Barbosa




LER E ESCREVER: POESIA


SONETOS

 

As águas turvas do Mondego

Toma; aqui está tudo que extraí
no meu garimpar deste tempo todo;
o que encontrei sob o cascalho e no lodo
era só teu; agora devolvi.

Se ainda tivesse uma alma sobrando
seria ela, sempre, para ti;
contando as almas todas que perdi
era impossível continuar te amando.

Deste canto, desde onde me despeço
tu és tão linda como quando cheguei;
ou mais ainda, se em ti eu meço

as esmeraldas que eu garimpei.
Sei no entanto, que não há mais regresso:
ninguém desama o que já amei.

 
 

 

 
 

<<voltar para listagem